Nosso roteiro em Paris – 11 dias

por Jackie Mota 21.dez.2011

Como contei aqui, achei as anotações que o Rômulo fez durante a viagem à Paris, em 2009. Não tinha anotações de todos os 11 dias que ficamos na cidade, faltavam os últimos 3, mas olhando as fotos, acho que consegui lembrar de tudo. Então, finalmente, aqui abaixo está o nosso roteiro.

Para ver algumas das nossas fotos da viagem, clique aqui. E aqui um post sobre a organização da viagem, com hotéis, resumo dos museus, onde comer etc.

Quantos dias: Ficamos 11 dias, dez noite, chegando no dia 1 bem cedo e saindo no fim da tarde do dia 11. Foi um tempo perfeito para andar bastante à pé, namorar bastante cada local, indo muitas vezes nos nossos cantos preferidos.

Dia 1 – segunda-feira

Chegamos ao hotel, no bairro de Saint Germain, de trem, pois desembarcarmos na estação Gare du Nord, vindo de Londres no Eurostar. Deixamos as malas, comemos um crepe (ai, os crepes parisienses!) e fomos para a Praça Saint Michel, bem pertinho. Lá pegamos o tour guiado a pé gratuito (falamos desse programa de tours aqui). E andamos muito! Tivemos uma linda primeira impressão de Paris. O tour começou às 15h e terminou às 18h e nos apresentou pontos importantes e deu uma ótima introdução à lógica da cidade. Esse foi o roteiro percorrido com o guia, um universitário francês: Notre Dame de Paris; O Quartier Latin; Ile-de-la-Cité; Pont Neuf; Louvre; Palais Royal; As renovações feitas por Haussmann; A Torre Eiffel; Jardins de Tuileries; Les Invalides; Academia Francesa; Opéra Garnier; Musée d’Orsay; Pont Alexandre III; A tumba de Napoleão; Assembleia Nacional; Champs-Élysées; Arc de Triomphe; Grand e Petit Palais; Place de la Concorde.

Depois de tudo, continuamos andando. Paris foi feita para andar, com certeza. Sozinhos, pegamos um caminho reto e passamos pela famosa avenida Champs-Elysees com mais calma e compramos macarrons na Ladurée. Também fomos olhar o Arco do Triunfo, por enquanto só por fora. De lá, metrô até a estação Trocadero, na colina de Chaillot, para ver a Torre Eiffel de seu melhor ângulo.

De lá, de novo em um caminho reto – os parisienses amam retas! – atravessamos os jardins do Trocadero, passamos debaixo da Torre Eiffel, atravessamos o Champs de Mars, o Parc du Champs de Mars, andamos até a Ecole Militaire e o Museé des Invalides.

Pegamos o metrô para casa e compramos mais crepes. Fomos comer no hotel, com vinho, exaustos e felizes. Da nossa janela via-se a luz da torre.

Dia 2 – terça-feira
Só acordamos às 11h30. Que delícia! Mas aí perdemos o café do hotel. Então fomos ao mercado. Adoramos ir aos mercados locais. Normalmente só olhamos para ver o que se come, como se come (pacotes grandes, enormes? muitos congelados? pacotes individuais? produtos frescos?). Mas em Paris, como iríamos ficar alguns dias, compramos alguns pães, queijos, patê e vinho. Vinho bom por 3 euros (suspiros).

Voltamos ao hotel e lavamos roupa. Comemos no hotel nosso “picnic” do mercado. E então fomos até o Rio Sena. Fizemos o passeio de barco, que deixa que você desembarque em alguns pontos e pegue o próximo barco. Nós fizemos o passeio completo, com saída perto da Torre. Magnífico.

De lá, seguimos para as Galerias Laffayete em busca do anel de noivado. Depois de sermos super bem atendidos na Tiffany’s, pegamos o metro e fomos jantar no “melhor crepe de Paris”: Rue Mouffetard. Na volta, a pé, demos uma olhada na igreja de Saint Etienne e no Pantheón.

Dia 3 – quarta-feira

Acordamos “cedo” para não perder o café de novo. Depois do café, rumamos para o Louvre, a pé, atravessando as pontes lindas de Paris. Visitamos todos os andares do setor Denon, o subsolo e o ground do Sully e uma parte do ground do Richelieu. Almoçamos lá no Louvre mesmo.

Saímos no fim da tarde. Voltamos à pé, passamos pela primeira vez pela Ilê de la Cité, contornamos toda a Notre Dame iluminada e o jardim que há atrás dela. Paramos em uma lojinha já na margem em Saint Michel e compramos chapéus. Jantamos comida grega, numa espécie de fast-food, em Saint German.

Dia 4 – quinta-feira

Seeguimos o esquema de acordar às 9h e tomar café no hotel. E mais uma vez andamos a pé. Fomos até o Grand-Palais – que estava fechado para visitação – depois fomos ao Petit Palais, que fica em frente, passamos pela Place de la Concorde, andamos no Jardin des Tuileries. De lá, metrô até o Jardim de Luxemburgo, Palácio de Luxemburgo, Fonte de Médicis. Comemos algo no jardim, comprado em uma padaria.

Outro metrô e fomos visitar o interior de Notre Dame e depois encarar os muitíssimos degraus para subir até seu topo. A vista é linda, conhecemos as gárgulas que o Romulo tanto queria.

Outro metrô e fomos para o Palais D’Orsay, que é conhecido como o museu dos impressionistas e fica aberto até tarde às quintas. Gostei muito de ir aos museus à noite, é mais vazio. Me apaixonei pelas bailarinas de Degas. Só saímos de lá quando o museu fechou.

Jantamos em uma pizzaria.

Dia 5 – sexta-feira

Acordamos mais cedo dessa vez para pegar o metrô e depois trem para Versailles. Visitamos todo o palácio principal pela manhã. Compramos sanduíches na lojinha local e almoçamos nas escadarias do jardim. À tarde passeamos pelos jardins e pelos domínios de Marie Antoinette.

De volta a Paris, fomos ao Louvre – que fica aberto à noite às quartas e sextas, até as 22h – para terminar de ver as alas que faltavam.

Jantar: crepe!

Dia 6 – sábado

Voltamos a acordar tarde, como gostamos e como o clima romântico e confortável de Paris incentivava.  A pé, rumamos para o Pantheón. Depois, tour de igrejas: Saint Germain-des- Prés, Saint Sulpice e Medalha Milagrosa. É interessante comparar os estilos. Almoçamos num shopping ao lado do santuário da medalha milagrosa. Quer dizer, compramos lá e estávamos passeando e comendo num banco na rua quando caiu uma chuva e ficamos nos escondendo numa cabine telefônica. Mas alguém sempre queria usar o telefone! Foi divertido =)

Em seguida enfrentamos a chuva e chegamos ao Museu de Invalides onde está o túmulo de Napoleão e que também abriga o Museu de la Armée – com as melhores  exposições de história das guerras ever. Fomos expulsos de lá às 17h e anotei que preciso voltar a Paris pra ver com calma esse museu.

Também nos barraram no Museu Rodin. Então, seguimos pro Arco do Triunfo e subimos até seu topo. Depois, metrô e seguimos para Forum Les Halles onde avistamos a Bolsa do Comércio, a igreja de Saint Eustaque por fora, uma loja chamada Leda (nome da minha mãe) e seguimos para jantar no Au pied du couchon: um ótimo jantar tipicamente francês.

Dia 7 – domingo

Começamos o dia pela Ilê de la cité: criptas de Notre Dame, depois Igreja de St Chapelle e Conciergerie. Daí, fomos ao Trocadero e ao Chaillot para ver e tirar fotos da Torre Eiffel de dia. Não subimos ainda. Decidimos ir ao Museu Rodin. É comovente e tem jardins muito agradáveis.

De lá, voltamos para Saint Germain e entramos no Musée du Moyen Age-Cluny onde havia uma exposição sobre o Asterix. Depois, seguimos para o bairro de Marais, novamente para o Les Halles onde demos uma espiada no interior da St Eustaque e sua magnitude por fora, além da “praça” no seu entorno. Fomos ao Centre George Pompidou e de lá avistamos algo luminoso que para nós seria a Ópera Garnier.

Fomos à Ópera, mas não entramos e não era ela a fonte das luzes estranhas. Voltamos ao Quartier Latin para jantar em uma Patisserie. Depois demos uma passada na Shakespeare & Company onde compramos um exemplar em inglês e com bordas douradas do Robinson Crusoé.

Dia 8 – segunda-feira

Acordamos tarde. Fomos à Torre Eiffel e finalmente subimos, até o topo. Depois fomos à Ópera Garnier, linda, inspiração para o Fantasma da Ópera que havíamos assistido em Londres. Em seguida, famintos avançamos para a praça e visitamos a igreja La Madeleine e depois entramos na Fouchon… só para ficar babando. Tudo mega caro e decidimos almoçar numa patisserie/boulangerie. Rômulo comeu um hot-dog com gosto de lasanha (?) e eu um Croque Monsieur. Fizemos compras numa Zara ali perto e pegamos o anel de noivado da Jackie na Tiffany’s das Galerias Laffayete. Fomos pro hotel e saímos para jantar um autêntico fondue, espetacular, num restaurante suíco em Saint Germain.

Dia 9 – terça-feira

Acordamos cedo e fomos de metrô até Montmartre para visitar a Basília Sacré-Couer du Paris. Depois, passeamos pelo bairro e fomos até a Place du Tertre, onde fizemos caricaturas com um artista local. Também compramos souvernirs aqui, tem muitas lojinhas. Fomos descendo as ladeiras até passar pelo cemitério Pére-Lachaise. Andamos mais ainda e chegamos ao Moulin Rouge.

De lá, metrô até a Praça da Bastilha e andamos até a Place de Vosges. Nesse caminho almoçamos num bistrô lindinho e compramos um sapato de couro lindo pro Rômulo. Visitamos a casa de Victor Hugo.

Dia 10 – quarta-feira

Nos programamos para acordar cedo e pegar o trem para a região do Vale do Loire, mas, perdemos a hora. Então, decidimos ficar pela cidade e ir ao nosso lugares preferidos. Café da manhã no Jardim de Luxemburgo, passeio pela Ile de la Cité, entrando na Notre Dame, andando toda a Rue du Rivoli (tanta coisa interessante!), parando no Louvre. Lá, decidimos que voltaríamos ali à noite. Seguimos até o fim da Champs-Elysée, fomos ao Chaillot e jantamos em um barco no Rio Sena. De lá, voltamos ao Louvre, onde aconteceu o pedido de casamento =)

Dia 11 – quinta-feira

Acordamos de ressaquinha depois do champagne da véspera e ficamos apenas rodando por Saint-Germain pela manhã. Olhando os cafés, o movimento na Sorbonne. Depois andamos até a Champs-Elysee e compramos macarrons para trazer de presente  pros nossos pais. Voltamos ao Pátio do Louvre novamente. Almoçamos algo rápido e pegamos um táxi em direção ao aeroporto. Adieu, Paris!

 

Texto: Jackie

ORGANIZE SUA VIAGEM

Espero que tenha gostado deste conteúdo, produzido com cuidado e carinho. Posso te pedir uma coisa? Ao organizar sua viagem, utilize os links abaixo. Todas as empresas e serviços indicados foram testados pessoalmente e são as opções que usamos. Ao utilizar nossos links, você gera uma pequena comissão para a gente, o que nos ajuda a manter o blog e estimula o nosso trabalho. E você não paga nada a mais. Agradecemos muito o seu apoio!

PROMOÇÃO atual: Até dia 21/11 a Seguros Promo está com QUINZE % de desconto! Clique aqui e use o cupom BLACK 

 

  • SEGURO VIAGEM: É obrigatório nos países da Europa que fazem parte do Tratado Schengen, além de países como Cuba e Venezuela;
    Altamente recomendável em caso de gravidez, já que seguros de cartões de crédito não cobrem grávidas, práticas de esportes radicais e outros casos. Os gastos com atendimento médico no exterior podem ser exorbitantes! Nos EUA uma internação diária pode custar cerca de US$ 2 mil e um parto vaginal e sem anestesia em 2018 custa mais de US$ 32 mil.
    O seguro também te auxilia com imprevistos como cancelamento de viagem e extravio de bagagem. Para encontrar o plano mais adequado para sua gravidez leia esse post.
    E para garantir o melhor preço pesquise na Real Seguro Viagem por esse link que te dá 10% de desconto e você pode pagar em até 6 x sem juros, e na Seguros Promo, onde você pode usar o cupom VIAJESIM5 e ganhar 5% de desconto. E você ainda tem MAIS 5%OFF para pagamento via boleto.

Compre já e economize!



Publicado por Jackie Mota

Uso minha formação em jornalismo e minha experiência organizando as viagens da minha própria família para escrever posts didáticos e detalhados para poupar o SEU tempo. Nos meus textos você encontra informações práticas apuradas com responsabilidade e organizadas de acordo com as necessidades do viajante. Referências histórias e análises sobre a política e impactos do turismo também estão presentes no meu trabalho para que você viaje bem informado, seguro e consciente - sou especialista em Relações Internacionais e Mestre em Estudos Estratégicos da Segurança Internacional.

outros artigos de Jackie Mota »

Comentários

  1. Flávia
    23 abr 2015

    Oi Jackie,

    Acabei de conhecer o seu blog e adorei!!!Muitas informações interessantes. Eu vi num de seus textos vc comentando que viajou com pouca bagagem (apenas uma mochila e uma bolsa) e achei muito legal. Gostaria de saber se para Paris vc fez o mesmo. Vc lavava as roupas em lavanderias? É muito complicado?

    Eu e meu marido vamos para Paris no final de maio e quem sabe sigo o seu exemplo.

    Obrigada

    Flávia

    • 23 abr 2015

      Oi Flávia, fico feliz que esteja gostando. Essa viagem de Paris foi uma das primeiras que fizemos na vida, então fomos super PESADOS haha com o tempo fomos aprendendo que o melhor é ir mais leve. Ainda lembro do tamanho enorme das malas rs Mas aqui no blog vc acha todos os meus posts sobre viajar leve nesse link: https://www.viajesim.com/categorias/viajar-leve
      O que fazemos é isso mesmo, lavamos roupa durante as viagens. Nessa viagem de Paris mesmo nós lavamos no próprio hotel, que tinha uma maquina de graça pra nosso uso. Mas em outras viagens lavo em lavanderia. Nas da europa é bem simples, viu? Em portugal mesmo agora eu usei algumas e tinha até wi-fi lá =)
      Na asia era uma coisa mais caseira, entregávamos a alguém e eles nos devolviam tudo depois.
      abs!

      • Flávia
        28 abr 2015

        Oi Jackie,

        Muito obrigada!!! Vou acessar as informações no link que vc disponibilizou.

        Quero levar o mínimo possível de bagagem…vamos ver….rs.

        Flávia

      • 29 abr 2015

        Tente diminuir um pouco, depois mais um pouco, a cada viagem a gente consegue desapegar mais =)
        bjs,

  2. Daniella Bezerra Futaki
    31 jan 2015

    Oi Jackie! Qual o nome do hotel q vcs ficaram??
    Vou com mru marido em maio e ficaremis 6 dias em Paris!! To começando o roteiro mas ainda nao fechamos hotel!
    Bjs

    • 01 fev 2015

      Oi Daniella, o hotel é o Marignan. MAs é super simples (em 2009 já estava bem precisando de umas melhoras).
      abs!

  3. Ana Paula
    22 abr 2013

    Oi, Jackie!
    Eu queria saber como é possível fazer o seguro de viagens para a Europa de forma particular.
    Estou indo viajar sem vínculo com agências de viagens, e estou penando com como se faz o seguro.
    Me ajuda?
    Bjs

    • 22 abr 2013

      Oi Ana, se vc comprou a passagem de avião com seu cartão de crédito pode pedir ao cartão o seguro da área shengen. Normalmente eles dão de forma gratuita.
      Se não, vc pode procurar uma agência só pra comprar o seguro avulso, sem comprar pacote com eles e também comprar online. Alguns blogs tem links para venda de seguro de viagem com desconto (vários blogs têm esse serviço, veja se algum que vc curte tem, pois o blog também ganha). Vou perguntar lá no twitter quem tem e posto aqui pra vc.
      beijos,

    • 22 abr 2013
      • Ana Paula
        23 abr 2013

        Eba, obrigada! 🙂
        Vou ver tudo com calma… Acabei não comprando no cartão de crédito porque ele estava travando. Aí, fui na loja da TAP comprar as passagens, para garantir o preço da cotação da reserva. O cartão ia demorar dois dias para resolver…
        Vou ver esse blog e também pelo banco mesmo, acho que eles oferecem!
        Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.