“Remember, remember, the 5th of November”

Sou uma pessoa de cismas. Muitas. E assim sendo não poderia deixar de cismar com datas. Uma delas é o 5 de dezembro, uma data que para mim sempre significou coisas difíceis. E todo ano ele se anuncia com um mês de antecedência já que ao chegarmos no 5 de novembro eu não consigo evitar que me venha à mente a frase “Remember, remember, the 5th of November“. O que ele me diz, na verdade, é, remember, the 5th of December is coming.

IMG_0009

Vista do meu novo escritório. Adoro ficar observando o vento na mata no morro.

O 5 de dezembro está para mim como o Natal para os cristãos ou o Ano Novo para os esotéricos. É a data que marco o fim de um período anual de reflexão, o dia em que devemos responder a pergunta da música oficial do fim do ano em shoppings brasileiros “então é natal e o que você fez?”. O mês que o antecede, então, é, normalmente, de introspecção, avaliação e decisões. Talvez para muitos isso não se pareça em nada com um doce novembro, mas para mim, é um mês agradável, importante, necessário e querido. É o meu novembro introspectivo que me permite passar pelo 5 de dezembro e seguir a vida.

E como se tudo tivesse sido criado e planejado escrupulosamente por um roteirista de uma série de TV, novembro costuma ser o mês dos dias nublados (apesar do calor insistente), das chuvas, finas de dia inteiro e curtas e intensas no fim da tarde. Assim sendo, abracei novembro, esse mês tão necessário.

Esse ano novembro não será diferente. Já tivemos alguns dias nublados. Hoje mesmo uma chuva fina passa carregada pelo vento na minha janela. Estou em meio a uma mudança de apto (a 18ª, 19ª? Já perdi as contas). Tenho muito trabalho, projetos mais que atrasados precisando ser concluídos, uma rotina que precisa ser retomada após o caos procurar apto + encaixota + desencaixota + reorganiza. Planos, muitos planos. The 5th os December is coming. E aqui estou, me recolhendo em novembro para passar por ele e por tudo o que eu aceitar e escolher para vir depois.

Eu sei que na música a data é outra, mas é ela a música que simboliza o 5 de dezembro para mim. É, normalmente, a mais tocada de novembro.

 O 5 de dezembro também tem um cheiro e uma cor. Azul royal e Ma Chérie, de O Boticário.

Cresceu no interior de Minas, sempre cercada de livros. Desde criança tem uma alma antiga. Encontrou no Rio o amor da sua vida, com quem ama viajar e se casar (again and again). É mãe de dois buldogues, Maquiavel e Foucault, jornalista e mestre em Estudos Estratégicos.

2 Comments on “Remember, remember, the 5th of November”

  1. 7 de novembro de 2013 at 13:20 (7 anos ago)

    5 de dezembro é o meu aniversário!
    então, tecnicamente, passamos juntas por esse período de reflexão e introspecção…

    Responder
    • Jackie Mota
      7 de novembro de 2013 at 16:30 (7 anos ago)

      jura? curti!
      bjs,

      Responder

Leave a Reply