19 livros para maternidade consciente

Um dos pedidos que mais recebo desde que engravidei é de dicas de enxoval e maternidade. Pois minha dica número 1 é, sem dúvida, que os pais busquem informação. Apenas informação de qualidade vai garantir que você faça as melhores escolhas em termos de produtos, mas principalmente, vai garantir segurança e tranquilidade na construção, diária, dessa sua nova família.

Se você está esperando seu primeiro filho, você provavelmente nunca ouviu falar de muitos temas deste universo que é maternagem. Pois a gravidez é a hora perfeita para se informar (não se iluda achando que no puerpério você terá muito tempo para ler). No entanto, é preciso que essa informação seja de qualidade e atualizada. Por isso, indico abaixo apenas conteúdos baseados nas mais recentes evidências científicas. Listei os livros que li desde a gravidez, incluindo apenas os que li até o final, com alguns comentários meus e na ordem em que os li. Os livros com coraçõezinhos ao lado são os que considero imperdíveis. Todos contêm link para a Amazon (loja da qual sou afiliada).

grávida deitada na cama

Durante a gravidez nós nos recolhemos em nossa casa e nos preparamos para a nova fase da família | Foto: Priscila Iglesias Fotografia

Lista de livros para uma maternidade consciente

1. Onde estão as moedas? ♥♥♥

Essa é a minha indicação número 1 para quem ainda está pensando em engravidar. O livro não aborda nenhum tema prático sobre gravidez, mas toca em um tema, a meu ver, muito necessário de ser trabalhado por quem deseja criar um filho: o dar e o receber. O livro é curtíssimo (dá para ler em 1 hora), em forma de parábola e tem o poder de nos levar a refletir sobre nossas raízes nesse momento em que queremos nos tornar nós mesmos raízes para um outro. Quem me indicou a leitura foi minha terapeuta, que segue a linha da Biossíntese. Eu li muito antes de engravidar da Sossô, me ajudou muito a pensar sobre o tomar e o dar na relação com um filho e reli quando descobri a cardiopatia da Sophia ainda na gravidez. Também dessa vez me ajudou a retomar o caminho de dizer sim para a vida.

Leia também: Disponível em português gratuitamente no Kindle Unlimited (assinatura disponível na Amazon, assine aqui), em e-book avulso e também impresso.

2. Winnicott para pais e professores

Quando estava grávida estava em voga uma autora cujo trabalho me soa muito pesado para a mãe, uma culpabilização forte. Como não me identifiquei, fui buscar outras leituras no campo da psicologia. Descobri Winnicott, mas demorei a encontrar um livro que apresentasse seus conceitos da forma bem simples e direta que eu, como leiga e para um primeiro contato, desejava. Encontrei nesse pequeno manual o que buscava. Apesar do livro ter problemas de revisão e estilo, o que seria negativo se o considerasse literatura, indico aqui como um resumão, uma ótima introdução para pais e futuros pais. Winnicott foi um pediatra e psiquiatra inglês que formulou teorias sobre o desenvolvimento infantil e criou diversos conceitos sobre a maternidade. Provavelmente você já leu sobre “objeto de transição”, um conceito dele. Um dos conceitos centrais da obra dele é o de “mãe suficientemente boa”. Segundo Winnicott todo ser humano nasce com a capacidade potente de se integrar psicologicamente, mas precisa de um ambiente que favoreça isso. É aí que entra a mãe suficientemente boa (que na real é o cuidador e não só a mãe, ok?) para garantir isso por meio de algumas funções: – Holding: o segurar, contato físico;
– Handling: cuidados básicos como alimentar, fazer dormir, limpar; – Função espelho: o olhar;
– Apresentar objetos: iniciar a transição da dependência total para a relativa. Para Winnicott é necessário proteger o bebê de grandes choques, dar-lhe previsibilidade para evitar traumas, MAS é nas pequenas falhas da mãe, nas frustrações do bebê, que ele se constitui. Uma mãe que “dá além”, impede o desenvolvimento do indivíduo. Ou seja, uma mãe real, não perfeita, apenas “suficientemente boa” é o que o bebê precisa! O objeto de transição aparece no processo de ir da dependência total para a relativa. É um objeto que dará “amparo” ao bebê. Nele também é apresentada a condição psicológica do puerpério, quando se instala a “preocupação materna primária”, o papel do pai, do brincar e outros conceitos winnicotianos úteis para enfrentar os primeiros meses como pais.

Leia também: Em Português, disponível apenas em versão impressa.

3. Quando o corpo consente

Leitura indicada para quem já está grávida, este livro é um diário da filha de uma parteira. Ela vai dividindo suas percepções acerca dessa jornada. Fiquei bastante introspectiva durante minha gravidez, por isso gostei de acompanhar o que outra mulher sentiu na mesma fase. A autora aborda a gravidez de forma holística, sem construir um texto didático ou prático sobre parto e saúde, e relacionando sentimentos e questões internas aos processos de gestar e parir.

Leia também: Dificílimo de encontrar em português, este livro está disponível por quase R$ 300 na Amazon. Eu consegui uma cópia emprestada. Sugiro procurar em sebos. 

4. O que esperar quando se está esperando

Esse livro é um manual clássico e eu o comprei quando ainda estava tentando engravidar. Ele traz informações práticas e objetivas sobre a gravidez, como o que você deveria estar sentindo e o que está acontecendo mês a mês. Um dos pontos negativos é que, ao procurar informar tudo o que é possível de acontecer em cada momento, ele fala bastante em doenças e outros problemas que podem ocorrer na gravidez. Portanto, não indico a quem é facilmente impressionável. Mas no geral gostei bastante de ler e fazíamos sempre isso juntos a cada novo mês de gestação.

Leia também: Li em Inglês no Kindle. Também está disponível em Português em versão impressa.

5. O livro da maternagem

Esse livro é fruto do trabalho das idealizadoras de uma antiga comunidade do Orkut e hoje grupo do Facebook, a Pediatria Radical, da Dra Relva. O intuito do grupo é debater a pediatria apenas com informações baseadas em evidências científicas, sem achismos, tradições e mitos. O livro traz temas diversos sobre a criação dos filhos, da gravidez à adolescência, de doenças a disciplina. Os capítulos são escritos por diferentes autores e não seguem uma ordem cronológica. Parece um pouco bagunçado à primeira vista e pode ser decepcionante se encarado como um manual. Então, por que gostei e recomendo? Simples, porque eu não tinha a menor experiencia com crianças e, portanto, sequer tinha idéia de quais eram os temas relacionados à criação. Achei que o livro me deu um bom norte não apenas sobre temas pertinentes como também sobre autores e linhas de pensamento nas quais eu queria me aprofundar ou evitar.  Recomendo também, fortemente que os pais entrem na comunidade do Facebook (Pediatria Radical).

Leia também: Em Português, ebook disponível gratuitamente no Kindle Unlimited (assine aqui) ou para compra avulsa.

6.The happiest baby on the block ♥♥♥

Não me lembro como cheguei a esse livro, mas posso dizer que ele mudou a história da minha maternidade. A julgar pela capa esse livro é um manual sobre sono dos bebês. No entanto, ele traz a descoberta mais importante sobre bebês que fiz durante a gravidez. Segundo a Teoria da Exterogestação ou do Quarto Trimestre, do autor do livro, Dr. Harvey Karp, os bebês precisam de um quarto trimestre de gestação para estarem aptos a viver, e interagir, fora do útero. Por isso, nos 3 primeiros meses de vida é necessário que gestemos nossos bebês aqui fora – ou seja, a exterogestação – dando a eles um ambiente que recrie as condições do útero, onde eles estavam protegidos. O livro explica a exterogestação e ensina uma técnica chamada “5 S” que fornece ao bebê os estímulos que ele necessita nessa fase. Conhecer a teoria da exterogestação tornou o período do pós-parto absolutamente mais fácil, não apenas por me capacitar com as técnicas dos 5 S, mas principalmente por me deixar segura de que meu bebê estava bem e de que eu estava sendo uma boa mãe. Com o livro você entende como funciona o sono do bebê, as cólicas, sua necessidade de sucção – e acaba protegendo a amamentação por entender um bebê que mama muito não esta, necessariamente com fome. Eu li em inglês e achei um pouco arrastadas as partes que explicavam como fazer cada um dos S. Não li a versão em português. Mas o valor de conhecer a exterogestação, as necessidades do bebê e como atendê-las é inestimável. Por isso indico esse livro e que você pesquise esse tema também além dele, em grupos de amamentação e de bem carregar (sling).

Leia também: Li em inglês no Kindle (também há a versão impressa nessa língua), mas atualmente já foi publicada versão impressa em Português.

7. Besame Mucho

Na pequena bolha onde vivo esse livro é já um clássico. Bom, eu tenho sentimentos controversos quanto a ela. Seguinte: o autor, Dr. Carlos González, um pediatra espanhol, ficou conhecido por difundir a criação com apego. Basicamente essa linha considera a criança uma pessoa digna de respeito e carinho, além de valorizar as informações científicas, e, portanto, vai contra práticas como deixar o bebê chorar para  “aprender a dormir” ou bater e valoriza a amamentação etc. O livro é, portanto, super necessário de cada vez ser mais conhecido e uma leitura básica para pais de primeira viagem. No entanto, como para mim a criação com apego já fazia todo sentido, a leitura foi um pouco chata, já que não trouxe novidades. Além disso eu li após o livro da maternagem, então não me ajudou também a descobrir novos temas. Então, se você já ouviu falar de criação com apego, acredita em cuidar com respeito em todas as fases da vida de seu bebê, desde o parto até sua independência total, passando pela hora de dormir, comer, desfraldar e prover educação formal, o livro não lhe trará novidades. Já se você nunca ouviu falar de criação com apego, não gostaria de reproduzir uma educação violenta ou nunca pensou sobre esses temas acima, o livro será um ótimo recurso de instrução e reflexão. Portanto não coloquei os coraçõezinhos porque para mim ele não foi fundamental, mas pela abordagem de temas tão relevantes ele pode ocupar essa posição para muita gente.

Leia também: Em Português, livro impresso.

kindle livro onde estão as moedas

8. Manual do Aleitamento Materno ♥♥♥

Uma das minhas memórias dos primeiros meses de vida da Sophia é da capinha amarela do Manual do Aleitamento Materno ao lado da minha cama, ou ao lado do sofá, ou na rede na varanda. Eu andava sempre a consultar este livro. Tenho uma linda história de amamentação. Consegui tirar minha filha de um peso baixo (ela foi considerada PIG – Pequena para Idade Gestacional) para sobrepeso exclusivamente em leite materno em menos de 2 meses. Nunca tive ferimentos no seio, minha filha tem uma saúde maravilhosa e segue mamando com 1 ano e 7 meses. Sou muito grata a esse livro, cujo autor é Dr. Carlos González, o mesmo de Besame Mucho. O livro traz todas as informações necessárias ao sucesso da amamentação desde o início, mas inclui também uma série de temas que, por experiência própria, você vai necessitar consultar ao longo da vida de lactante. É muito importante que os pais saibam que nossa sociedade trabalha contra a amamentação materna exclusiva e que, caso você realmente deseje isso, deverá não apenas fazer sua parte, mas estar ultra bem informada para resistir. Além desse livro, o que indico para o sucesso da amamentação exclusiva é a leitura e participação no Grupo Virtual de Amamentação no Facebook, um pediatra de fato a favor do aleitamento materno e a disseminação das informações de qualidade para todos que terão contato com a mãe e o bebê, para que a apoiem e resistam junto com ela.

Leia também: Em Português, li a versão impressa e acabei de ver que agora há também ebook para Kindle.

9. Parto ativo ♥♥♥

O parto da minha filha foi uma experiencia maravilhosa não apenas para mim, mas para toda nossa família. A coisa mais linda da minha vida é ouvir meu marido falar sobre esse dia. tivemos um parto natural hospitalar instintivo e leve. Quando me pedem indicação de material sobre parto esta é minha única indicação: Parto ativo. Esse livro é absolutamente completo, explicando toda a fisiologia do parto e como nós mulheres podemos parir ativamente. Considero as informações desse livro de um valor inestimável e gostaria que mais gente tivesse contato com ela, não apenas mães e não apenas mulheres, pois aqui vemos toda a potência dos nossos corpos. O livro traz uma série de indicações de exercícios preparatórios para o parto (não fiz nenhum, ainda acho a informação a coisa mais útil de tudo) e indicações práticas para a hora do trabalho de parto. Além do livro, minhas outras indicações para quem quer parir são os grupos Parto Natural e Cesárea?, não obrigada, no Facebook, para a leitura de relatos e indicação de profissionais em sua cidade.

Leia também: Em Português, impresso.

Compre já seu Kindle Paperwhite

Se interessou pelo Kindle Unlimited? Inscreva-se e teste por 30 dias gratuitamente

10. The Wonder Weeks ♥♥♥

Esse livro é a única exceção da lista, pois não o li por inteiro. O motivo é que acabei comprando o aplicativo dos mesmos autores e utilizei este para consulta recorrente. A obra leva os coraçõezinhos porque ele traz o outro conceito que, ao lado da exterogestação, muda completamente a nossa forma de encarar a maternidade. Sou também muito grata por ter tido contato com esse conceito, o de Saltos de Desenvolvimento, antes do nascimento da Sophia. Basicamente esta teoria mostra que o desenvolvimento das crianças não acontece linearmente, mas que muitas habilidades importantes como sentar, engatinhar, segurar objetos, falar etc são adquiridas durante saltos de desenvolvimento do cérebro. Esses períodos representam muitas mudanças e desafios para os bebês e, portanto, são bastante estressantes. Portanto, nestes períodos, os bebês podem se mostrar mais demandantes, ter regressão do sono, querer mais peito etc. A grande vantagem de conhecer os saltos é que eles são previsíveis de acordo com a data prevista de parto (DPP). No aplicativo é possível colocar esta data e obter um calendário personalizado dos períodos de salto do seu bebê. Além de poder se programar minimamente (é claro, não há como ser exato), conseguimos nos conectar melhor com nossos bebês e suas necessidades. No livro há também dicas para ajudar os bebês a se desenvolverem melhor.

Leia também: Quando li só havia versão em inglês e li no Kindle, mas atualmente há versão para Kindle com ótimo preço e também uma versão impressa, e está mais barato que no original. Usei o aplicativo para Iphone.

11. Para educar crianças feministas

Ganhei esse livro de uma amiga após Sossô nascer e li durante uma tarde amamentando. É um pequeno manifesto sobre igualdade de gênero. É bem curtinho, escrito em formato de carta com sugestões de como educar filhos para a igualdade e justiça. Um texto lindo e necessário e um ótimo presente para casais que esperam filhos.

Leia também: Em Português, em versão impressa e ebook para Kindle.

12. Shantala

Shantala, do Frederic Leboyer, autor também Nascer Sorrindo. Indicação de uma amiga também recém-mãe, li no puerpério. O texto é super tocante e explica a filosofia por trás dessa massagem voltada a bebês Eu já tinha visto muitos vídeos em YouTube sobre shantala e achava que sabia fazer, mas só após a leitura compreendi a profundidade dessa técnica. Indico muito. Comprei em um sebo – não achei novo nas livrarias – e na hora não prestei atenção e comprei em espanhol. De qualquer forma, as fotos ensinam super bem a técnica da massagem.

Leia também: Só consegui encontrar exemplares usados. Achei alguns na Amazon em Português.

13. Princípios de Montessori para famílias e outros textos

O nome Montessori tem se popularizado entre pais por conta da “moda” de alguns móveis para quartos infantis. É uma pena que muita gente limite seu conhecimento sobre a pedagogia Montessori a um apropriação mercadológico. Montessori tem uma visão linda sobre as crianças e, o que muita gente ignora, pode facilitar imensamente a convivência e o dia, especialmente dos cuidadores que ficam com os pequenos o dia inteiro. A grande referência no tema no Brasil é o site Lar Montessori, de Gabriel Salomão, que tem página no Facebook e canal no Youtube. Ele escreveu um pequeno livro introdutório sobre a pedagogia e que reúne textos importantes já publicados no site. Recomendo fortemente a leitura para uma vida mais harmônica ao lado dos pequenos.

Leia também: O ebook está disponível gratuitamente no Kindle Unlimited (assine aqui) ou à venda avulso.

14. Meu filho não come ♥♥♥

Item número 1 e indispensável da minha preparação para a introdução alimentar da Sophia, também é do pediatra Carlos González. O livro NÃO traz fórmula mágica para fazer criança comer. Ao contrario, é uma leitura para deixar os pais tranquilos quanto ao processo, mostrando as reais necessidades da criança e, através de perguntas recebidas pelo médico, aponta caminhos para não criarmos expectativas irreais. Um dos capítulos desvenda como “meu filho não come” passou a ser uma reclamação comum em consultórios pediátricos e é bem chocante ver a influência de nosso estilo de vida, e da indústria, nessa fase da vida das famílias. Como os outros livros do Carlos, esse nos leva a considerar a perspectiva da criança e ter mais empatia por ela. Acho que valeu muito a pena ler antes do início da IA. Com certeza colaborou para que levássemos tudo com leveza e que as refeições tenham sido sempre momentos gostosos da nossa família.

Leia também: Li em Inglês no Kindle; em Português está disponível em versões ebook e impressa.

15. Baby-Led Weaning: The Essential Guide to Introducing Solid Foods—and Helping Your Baby to Grow Up a Happy and Confident Eater 

BLW é um método de introdução alimentar e esse livro é a “bíblia” dele. Nós adotamos o método com a Sophia e gostamos bastante. Alguns dos princípios que guiam o método são a participação do bebê nas refeições junto com a família, a oferta de alimentos inteiros e separados, a autonomia da criança para levar o alimento à própria boca e o preparo dos pais para entender o mecanismo de GAG reflex e os engasgos. A mim me pareceu um método muito natural e mais fácil de me adaptar do que a introdução alimentar tradicional, mas cada família deve ter liberdade para escolher o que é melhor para todos.

Leia também: Outro que foi publicado em Português apenas recentemente tanto impresso quanto ebook. Eu li no Kindle, em inglês.


Dicas de livros para maternidade consciente educar crianças feministas

16. Soluções para noites sem choro

O único livro para “ensinar um bebê a dormir” que você me verá recomendando é este. Comprei quando Sophia tinha 10 para 11 meses e enfrentou uma regressão de sono puxada, acordando várias vezes por noite. Li todinho e achei muito bom. O livro ajuda os pais a identificarem o motivo de seus bebês acordarem. Há planilhas para que se possa traçar um panorama da situação antes de escolher uma estratégia de solução para cada problema. Tudo de forma respeitosa, muito longe de deixar a criança chorar. Eu cheguei a preencher algumas planilhas, mas logo Sossô voltou a dormir bem – ela estava passando por um salto grande por estar começando a engatinhar – então não cheguei a colocar nada em prática.

Leia também: Em Português, impresso. Há também, da mesma autora, um livro voltado a crianças de 1 a 6 anos.

17. Disciplina positiva para crianças de 0 a 3 anos ♥♥♥

Um livro revolucionário! E não apenas para o relacionamento com os filhos. Disciplina Positiva tem o potencial de transformar relacionamentos de todos. Em resumo, a Disciplina Positiva é um programa que traz ferramentas para que crianças e adultos tenham recursos para solucionar seus problemas por toda a vida. A abordagem da criação dos filhos pela disciplina positiva é de uma tarefa que exige firmeza com flexibilidade e gentileza. O livro basilar da Disciplina Positiva é de Jane Nelsen, leva esse nome, e traz toda a teoria do método. Como já conhecia um pouco da teoria, fui direto para a leitura dessa outra obra, que é voltada às questões de crianças entre 0 e 3 anos, a faixa etária da minha filha, e que traz um tom mais prático, com exemplos de casos reais de pais com filhos nesta fase.O livro é incrível e a minha cópia está toda grifada. Recomendo demais que todos que pretendem criar os filhos com respeito e encorajamento para que se tornem adultos independentes, resilientes, gentis e, principalmente, felizes, leiam um dos livros de Jane Nelsen.

Leia também: Em Português em versão ebook para Kindle ou impressa. O Disciplina Positiva publicado anteriormente também está disponível em Português em ebook e impresso.

18. O cérebro da criança

Este livro tem uma pegada mais científica, com foco no desenvolvimento cerebral, para uma proposta muito parecida com a Disciplina Positiva. Aqui são expostos os motivos pelos quais bebês agem como agem e as estratégias que podemos adotar para obter colaboração dos pequenos e os guiarmos através de seus desafios. Gostei bastante das ilustrações que resumem as ideias, pois são muito úteis para compartilharmos com outras pessoas que convivem com nossos bebês e que ainda possuem crenças desatualizados sobre o comportamento infantil. Ele também tem tabelas com o resumo das estratégias ao final do livro, divididas por idade, ótimo para consulta posterior.

Leia também: Em Português apenas em versão impressa.

19. Já tentei de tudo

Peguei esse livro emprestado e tenho algumas dúvidas sobre ele. Gostei da leitura, mas não sei se eu teria compreendido os fundamentos do comportamento infantil se não tivesse lido o Disciplina Positiva ou o Cérebro da criança anteriormente. O livro aborda mais objetivamente as “birras”, “manhas”, e ataques de raiva, mas cobre crianças ew 1 a 5 anos. Achei o conteúdo um tanto quanto resumido. No entanto, gostei da divisão por idades e “fases” de necessidade da criança, achando um bom material para consulta rápida diante de novos comportamentos.

Leia também: Li uma cópia emprestada de uma amiga. Em Português está disponível em ebook para Kindleversão impressa.

Dois temas básicos do desenvolvimento entre 0 e 2 anos que essa lista não aborda são o desmame e o desfralde. Ainda não passamos por essas experiências, mas como elas se aproximam, já reuni algumas indicações de leitura. Quando concluí-las venho atualizar a lista.

Grávida e vai viajar? No Viaje Sim! contei tudo sobre nossas DUAS babymoons

Siga meu instagram para acompanhar minha maternidade no dia a dia

Se você procura indicações de livros para seu bebê, confira no Instagram minhas sugestões na hashtag #OslivrosdaSossô

Um app para começar e continuar a meditar

Eu adoro apps e como meditante iniciante, obviamente procurei e testei vários aplicativos que prometiam ajudar a aprender ou a manter o hábito de meditar ao longo dos últimos anos.  Até que conheci o Breathe (Stop, Breathe & Think), que tenho usado há meses e agora indico, sem dúvidas, como o método mais fácil para entrar no mundo da mindfulness.

app para meditar

 

(mais…)

A casa de quem viaja: Carol May

A Carol May é uma blogueira de viagens super ativa e que já apareceu na minha lista de blogueiras que viajam sozinhas preferidas lá no Viaje Sim!. Pelas redes sociais do blog dela, o Dicas e Roteiros de Viagem, eu sempre via móveis e objetos de decoração lindos que ela foi adicionando a seu apartamento novo. Então, fiz o convite para ela mostrar tuuuudo aqui no A Casa de quem Viaja e ela Carol topou (super obrigada, Carol!).

Abaixo, a Carol mostra e conta como as viagens foram incorporadas na decoração e como esses objetos tornam seus dias mais felizes emano seu lar doce lar .

A casa de quem viaja, por Carol

“Nas primeiras viagens que fiz costumava comprar apenas miniaturas e imãs de geladeira que são mais fáceis de carregar. Mas quando comprei meu apartamento e comecei a pesquisar artigos de decoração, não sei por que o que mais me chamava atenção eram os artigos que remetiam à viagem tanto nas viagens quanto nos sites brasileiros. Adesivos, quadros, almofadas… E até meus guias entraram na decoração. Meio sem pensar fui colocando coisas de viagem em umas estantes de nichos e quando vi já tinha o meu cantinho preferido. E depois foi se espalhando pelo resto da casa.

 

a casa de quem viaja

Escritório lindo da Carol. Além dos detalhes, os móveis são super charmosos

(mais…)

Andar leve: um passo após a conquista da viagem leve

Quem acompanha o Dépaysement e o Viaje Sim! sabe que há algum tempo optamos por viajar leves, ou seja, sem despachar. A decisão que foi um desafio nas primeiras vezes, acabou virando um hábito com o qual nos identificamos completamente. Tem a ver com nossa filosofia de vida e nossas escolhas que priorizam, por exemplo, a praticidade e o conforto.

andar leve desafio bolsa pequena no dia a dia

Minha nova companheira: #andarleve

(mais…)

Parem de falar mal das mudanças

Pronto, mudei. Digo, mudamos. Bom, na verdade, os dois. A família mudou de casa de novo, mas afinal, a verdade é que cada mudança de endereço carrega sempre no fundo tantas outras outras transformações. A própria decisão de levar o lar para outro canto ou ficar onde já se está acomodado reflete claramente o fluxo da nossa vida naquele momento. Às vezes é um turbilhão que nos engole e às vezes só seguimos um caminho que sentimos ser tão natual. Dessa vez foi assim. Há algum tempo percebemos que já tínhamos necessidades diferentes das prioridades de quando mudamos para a casa antiga. Então, fomos atrás de um local que pudesse acolher a vidinha que decidimos ter juntos.

Uma foto publicada por Viaje Sim! (@viajesim) em

Foto da janela do apto antigo num dos últimos dias por lá

(mais…)

1 2 3 13