Por que não eu? – por uma rotina em que estou em primeiro lugar

Cresceu no interior de Minas, sempre cercada de livros. Desde criança tem uma alma antiga. Encontrou no Rio o amor da sua vida, com quem ama viajar e se casar (again and again). É mãe de dois buldogues, Maquiavel e Foucault, jornalista e mestre em Estudos Estratégicos.

2 Comments on Por que não eu? – por uma rotina em que estou em primeiro lugar

  1. marina alecrim
    14 de janeiro de 2016 at 12:53 (5 anos ago)

    Fantástico esse post, Jackie! Eu sou uma pessoa com milhões de paixões e tento sempre encaixar o que gosto de fazer na minha rotina. Trabalho, atualmente, quatro dias da semana e faço doutorado, o que por si só já toma muito do meu tempo. Eu não consigo admitir que a minha vida seja só isso e faço de tudo p fazer o q eu amo com alguma frequência. Inclusive, quebrar a rotina. Nada como visitar um centro cultural e descobrir exposições fantásticas dps do trabalho ou reservar a hora do almoço do trabalho para conhecer restaurantes legais da região. Eu sou bem flexível com minhas obrigações e com horários e isso, às vezes, me torna bem indisciplinada. Nem sempre consigo levantar da cama nos meus dias “livres” p fazer o meu dia render e fica difícil conciliar tudo rs. Como vc disse: o dia só tem 24hrs e temos q aceitar q não dará p fazer tudo. Enfim, parabéns pelo post, por incentivar as pessoas a ter um tempo p elas e exercer o amor próprio, fundamental para nos descobrirmos e sermos pessoas melhores tb.

    Responder
    • Jackie Mota
      4 de fevereiro de 2016 at 16:44 (5 anos ago)

      OI Marina, eu que agradeço seu comentário. Te entendo perfeitamente sobre ter milhões de paixões rs mas o caminho é mesmo por aí, aceitar que não dá pra ter tudo e ser feliz assim mesmo =)
      beijos,

      Responder

Leave a Reply