Você sabia que o Brasil tem um Vale dos Vinhedos?

Quem segue o blog no Instagram e Facebook acompanhou em meados de maio nossa viagem para comemorar meu aniversário. Rolaram nessas redes lindas fotos de vinhedos, casinhas fofas rodeadas por muita natureza, muitas, muitas taças de vinho e ainda muita mordomia em massagens e tratamentos em um spa. Com essa descrição aposto que você acha que estou falando de algum destino de enoturismo na Itália, talvez França, ou quem sabe Chile. Pois saiba que não, essa viagem maravilhosa foi para um destino aqui mesmo no Brasil: o Vale dos Vinhedos. Essa região, que é primeira e única com classificação de Denominação de Origem (DO) de vinhos no país, fica no Rio Grande do Sul e nos proporcionou quatro dias maravilhosos de prazeres da boa mesa, contato com a natureza e relaxamento. Tenho certeza que você também vai se apaixonar e incluir o Vale dos Vinhedos na sua wishlist viajante.

Uma foto publicada por Viaje Sim! (@viajesim) em 

O que é o Vale dos Vinhedos?

O Vale dos Vinhedos é uma região distante cerca de 130 km de Porto Alegre. Seu território se divide entre as cidades de Bento Gonçalves (maior parte), Monte Belo do Sul e Garibaldi. O Vale em si compreende cerca de 80 km quadrados, uma paisagem dominada por parreirais e mais de 30 vinícolas que preservam o legado histórico, cultural e gastronômico dos imigrantes italianos que chegaram à Serra Gaúcha em 1875.


Os vinhos produzidos ali são os únicos do Brasil com selo de indicação de procedência e de Denominação de Origem (DO). Para o consumidor, essa é uma garantia de que os vinhos são produzidos integralmente no Vale dos Vinhedos. A DO traz também regras de cultivo e de processamento mais restritas que as estabelecidas para a Indicação de Procedência (IP), que havia sido obtida em 2002 e ficou em vigor até a obtenção do registro da DO.

mapa vale vinhedos

O que você encontra no Vale são propriedades rurais como vinícolas familiares, produtores de queijos e outros produtos gastronômicos como geléias e massas, restaurantes e ateliês de artesanato. Na maior parte dos estabelecimentos é possível fazer visitas guiadas e degustações. O Vale tem uma geografia bem simples, fácil para se localizar e percorrer. São basicamente duas vias: a Estrada do Vinho e a Via Trento e os estabelecimentos ficam nas suas margens, como você pode ver no mapa acima.  

Vale dos Vinhedos

O que tem para fazer no Vale dos Vinhedos

O Vale é um destino enoturístico, ou seja, o vinho aqui é a grande atração. Mas mesmo quem não bebe pode curtir, pois é muito interessante conhecer os produtores. Cada vinícola tem sua história, filosofia, sistema. Há casas familiares bem pequenas, casas boutique e também as vinícolas mais conhecidas do país, como Miolo, Aurora e Valduga. A maior parte das casas tem visitas guiadas e degustações, mas há também minicursos – fizemos o da Miolo, e indicamos – e até cursos especiais mais extensos para quem quer se aprofundar.

Também há sempre atrações especiais, como um Truck de vinhos e guloseimas estacionado nos jardins (na Miolo, aos domingos), piqueniques nos vinhedos ou nas caves, jantares harmonizados, entre outros. O Vale fica na famosa Serra Gaúcha, onde há uma infinidade de outras atrações. Destaque para um ponto que fica bem pertinho mesmo e é muito bacana: o Caminhos de Pedra. Nós tiramos uma manhã para conhecer o lugar e adoramos. São diversas casas de produtores locais, incluindo massas (compramos biscoitos deliciosos!), artefatos de pedra, produtos à base de leite de ovelha etc. O cenário é lindo e também há ótimos restaurantes. Você também pode conhecer sem grandes deslocamentos Bento Gonçalves, onde há atrações que registram a história da imigração na região.

Uma foto publicada por Viaje Sim! (@viajesim) em

Nós nos dedicamos totalmente ao relaxamento aproveitando os tratamentos vinoterápicos do Vino Spa, que fica no Hotel & Spa do Vinho, Autograph Collection. O spa é aberto ao público em geral, então mesmo se você se hospedar em outro lugar pode se programar para uma manhã ou tarde relaxando.

Quando ir

A viagem ao Vale dos Vinhedos pode ser programada em qualquer época do ano e as estações trazem cores diferentes à paisagem. O verão traz uma série de eventos especiais para celebrar a vindima, a colheita das uvas. Outono e inverno propiciam aquele friozinho que quem mora em locais quentes como nós procura. É bom para curtir as noites à beira da lareira, provar vinhos mais encorpados e se deliciar com pratos mais pesados.

Vale dos Vinhedos

Centro de Bento Gonçalves

Quantos dias são necessários para viajar ao Vale dos Vinhedos?

É possível visitar o Vale em quanto tempo você tiver disponível. Viajantes hospedados em Gramado, Canela e ate mesmo Porto Alegre costumam fazer bate-volta. Minha opinião é que uma das atrações mais bacanas do lugar é justamente o seu “tempo”, a calma com que os dias passam por ali. Então, sugiro se hospedar no Vale mesmo e imergir na cultura local.

Com a facilidade de transporte dá para encaixar a viagem em folgas curtas, como um fim de semana, mas como há muitas atrações, também se pode fazer roteiros mais longos. Acho que uma viagem de 4 dias é excelente para relaxar e conhecer algumas vinícolas, ir até o Caminhos de Pedra e Bento Gonçalves. O que definitivamente não acho que combina com o destino é uma viagem corrida, ou seja, poucos dias e um roteiro todo programado cheio de compromissos. Nós ficamos 3 dias e 3 noites, nos concentramos em relaxar e focamos em apenas duas vinícolas. Vale lembrar, o Vale tem mais de 3 dezenas de casas produtoras de vinho, então é um destino para voltar muitas vezes.

Uma foto publicada por Viaje Sim! (@viajesim) em

Onde ficar

Minha indicação é ficar no próprio Vale dos Vinhedos. Nos hospedamos no Hotel & Spa do Vinho, Autograph Collection e saímos muito satisfeitos e encantados, já que o hotel é uma experiência em si, com seu spa e a vista privilegiada. Há outras pousadas no próprio Vale e uma boa oferta de hotéis em Bento Gonçalves.

Vale dos Vinhedos

Noite de friozinho no hotel, que tem também spa e bistrô abertos ao público

Como chegar e como circular

Saindo do Rio, pegamos um vôo direto da Gol – via Smiles. São 2 horas. Em Porto Alegre, alugamos um carro no aeroporto e seguimos pela RS 122. Levamos cerca de 2 horas no trajeto – e eu fui no volante! A estrada é boa e bem sinalizada e só há um pedágio na volta, sentido Porto Alegre (R$ 4,80). A partir do centro de Bento Gonçalves são apenas cerca de 10 km. A distância até os Caminhos de Pedra é de cerca de 23 km. Já até Gramado são cerca de 120 km. Alguns hotéis, como o em que nos hospedamos, o Hotel & Spa do Vinho, Autograph Collection, organizam transporte privativo a partir de Porto Alegre.

A melhor opção para circular pelo Vale é mesmo o carro.

Leia mais: 

Onde ficar no Vale dos Vinhedos 

Imperdível no Vale dos Vinhedos: Vino Spa

Bistrô Sabrage: jantar romântico no Vale dos Vinhedos

Destination Wedding no Vale dos Vinhedos

Espero que tenha gostado deste conteúdo, que foi produzido com cuidado e carinho para você. Posso te pedir uma coisa? Ao organizar sua viagem, utilize os links abaixo. Todas as empresas e serviços indicados foram testados pessoalmente e são as opções que usamos. Quando você usa nossos links, gera uma pequena comissão para a gente, o que nos ajuda a manter o blog e estimula o nosso trabalho. Agradecemos muito o seu apoio!

  • Chip de celular internacional para internet e/ou dados Easy Sim 4u;

Fotosinspiradoras?

No comments yet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *