Visconde de Mauá: panorama

No primeiro post do Especial Visconde de Mauá vamos dar uma idéia geral da região, como chegar, onde se hospedar e quantos dias ficar na região.


Como chegar
Visconde de Mauá fica a 210 km do Rio de Janeiro. O caminho de carro partindo daqui é super simples: basta pegar a Rodovia Presidente Dutra e seguir até Resende. Logo após esta cidade, no km 311, pegue a entrada (bem sinalizada) para a RJ 163 e siga reto no trevo que dá acesso a Penedo.


Da Dutra até Visconde de Mauá são 27 km e a estrada está novinha e bem sinalizada. A parte da serra é muito sinuosa, por isso, se você vai com seu animalzinho de estimação é bom prevenir o enjôo com um remedinho (consulte o veterinário antes) e ir devagar. Aproveite os muitos mirantes do caminho para fazer paradas e evitar que o bichinho se estresse e também para admirar a vista: vale a pena.

Um dos mirantes na estrada para Mauá



Também é possível agora seguir de avião até Resende e de lá em carro ou ônibus para Mauá. É que a partir de 21 de maio a cidade passa a contar com vôos a partir de São Paulo ou Juiz de Fora (e conexões para outros dez destinos entre eles Rio de Janeiro e Belo Horizonte) feitos pela Trip.


Bem na entrada de Visconde de Mauá há um posto de informações, então se você não conhece o caminho para sua pousada (o Google Maps não mostra detalhes da cidade) pare aqui e pergunte. O atendimento é super simpático e prestativo, rola até um cafezinho =)


A partir desse centrinho você tem uma bifurcação. Pegando para a esquerda você segue para as outras duas vilas: Maringá e Maromba. A distância entre Visconde de Mauá e Maringá é de 8km e de Maringá para Maromba de apenas 3km. A estrada a partir de Mauá é de terra, mas há previsão de que seja asfaltada em breve.


Além dessas três vilas quem fica na região pode visitar outro estado. É que o Rio Preto corta a região e marca a divisa do Rio de Janeiro com Minas. Por isso, na vila de Maringá, basta atravessar uma pontezinha e você já estará na Maringá de Minas Gerais. A região de Visconde de Mauá pertence a dois estados (Rio e Minas) e três municípios: Itatiaia (RJ), Resende (RJ) e Bocaina de Minas (MG). Além disso está inserida na Área de Proteção Ambiental (APA) Serra da Mantiqueira e parte de seu território encontra-se dentro da Unidade de Proteção Integral do Parque Nacional do Itatiaia.





As muitas pousadas da região estão espalhadas não somente pelos povoados como pelos muitos vales (do Pavão, Alcantilado, etc). A cada entrada para uma estradinha há placas com os nomes das pousadas e restaurantes. Perfeito para os turistas.



Em que vila ficar?
Uma dúvida comum para quem vai pela primeira vez à região é qual vila escolher para se hospedar. A nossa resposta é: não escolha a vila, escolha a pousada! O motivo é simples: as distâncias entre as vilas são pequenas e você vai circular por todas elas em sua estadia, então, a menos que esteja indo somente por um dia e para ir a uma cachoeira específica, vale mais a pena escolher a pousada que mais lhe agradar. 


Há pousadas na região nos mais diferentes perfis: com muita opção de brinquedos e recreadores para crianças. com um bom restaurante próprio; com um programa de massagens especiais etc. Então escolha a pousada que mais lhe atrai.  

Nossa pousada, com muito espaço ao ar livre: perfeita para viagem com cachorro



Já se a dúvida for entre Penedo e Visconde de Mauá, recomendamos a segunda opção. Assim você pode tirar um dia inteiro ou uma noite para ir a Penedo, que dista cerca de 35 km, e ficar mais tempo em Visconde para visitar todas as vilas. Se fizer o contrário provavelmente vai pegar a estrada mais vezes para ir às vilas de Mauá.


Para dar uma idéia geral das vilas podemos dizer que em Visconde de Mauá há um centrinho comercial com bons restaurantes; Maringá (a fluminense e a mineira) concentra mais opções noturnas, como restaurantes e bares, e tem até uma Alameda Gastronômica; já na região de Maromba há pouco comércio, mas é onde ficam as cachoeiras mais famosas, como a do Escorrega, Poção da Maromba, as do Vale de Santa Clara, a Véu de Noiva e a divisa com o Parque de Itatiaia, bons passeios para o dia. Mas, mais uma vez lembramos, as pousadas e os restaurantes também se espalham pelos vales da região e a distância entre Maringá e Maromba é de apenas 3km.

Mapa da região (recebi impresso no hotel e digitalizei)



Quando ir e quantos dias ficar?
Visconde de Mauá é um bom destino para quem busca sossego, pousadas charmosas para curtir romance, mas também contato com a natureza e esportes radicais, além de atividades para crianças e passeios com animais de estimação: ou seja, dá para agradar muito gente. Além disso um destaque são os restaurantes, com culinária variada e muitos estabelecimentos que capricham nos pratos e na decoração. 


Então há programação suficiente para vários dias na região, afinal grande parte das pousadas locais têm atividades de lazer, só na região central são 6 cachoeiras, nos centrinhos das vilas dá pra ficar horas vendo o artesanato local e opções para comer não faltam. Mas por ser pertinho do Rio é também um destino perfeito para uma fugidinha de fim de semana. Fica a seu critério. 

Cachoeira de Santa Clara e centrinho de Maringá (Rio)



Outras infos: Há um posto de gasolina no trevo de Penedo e outro na estrada entre Mauá e Maringá; Em Mauá tem um caixa eletrônico do Itaú; o sinal de celular e internet é ruim – nossos celulares e 3G TIM não funcionaram a partir do trevo de Penedo, mas a internet do hotel era ótima. 

Confira: roteiro pet friendly completo, com dica de pousada
e restaurantes para quem vai com cachorro

Texto: Jackeline Mota; Edição: Rômulo Elizardo; Fotos: Arquivo pessoal

Cresceu no interior de Minas, sempre cercada de livros. Desde criança tem uma alma antiga. Encontrou no Rio o amor da sua vida, com quem ama viajar e se casar (again and again). É mãe de dois buldogues, Maquiavel e Foucault, jornalista e mestre em Estudos Estratégicos.

10 Respostas para “Visconde de Mauá: panorama”

  1. jackieeromulo
    21 de maio de 2012 at 13:38 #

    Pois é, fazemos assim. Se tiver um galhinho então pra fingir que vai jogar, ele vem correndo rsrs
    Esse site é ótimo, tem várias indicações de hotéis pet friendly.
    bjs,

  2. Ana
    18 de maio de 2012 at 12:46 #

    Tenho uma amiga que me ensinou um “truque”: quando eles dispararem, ao invés de correr atrás, vc abaixa e chama, como se estivesse chamando para brincar!

    Nas primeiras vzs tem que ter MUITA calma e presença de espírito, mas depois entra na rotina… E, é claro, assim que ele chegar dá um petisquinho! ;)Meu cão só foi à piscina uma vez, aqui não tem  mtos lugares para nadar. Mas não é uma raça que muito aquática, especialmente porque são mto magros, e por isso sentem mto frio. Tem que secar logo e mto bem seco assim que tirar da água!
    Meu irmão me indicou um site: www.turismo4patas.com.br
    Assim que a pequena puder sair, vou ver se faço alguma das atividades com os dois! :)Bjs

  3. jackieeromulo
    17 de maio de 2012 at 12:30 #

    Jura que vc tem galgos? Acho eles mega fofos!!! Mas nossa, imagina, se Maquiavel qd dispara eu peno pra alcançá-lo, um Galgo então rsrsr
    Então, é isso. Numa área mais cercada ou sem mt gente por perto, dá pra soltar. Mas qd tem mt gente circulando (e ele pode pular nas pessoas) ou é uma área mt aberta, eu evito. Mas acho que com o tempo, eles crescendo vão ficar mais “centrados”, né? E tem que trabalhar com eles mesmo, treinar.
    Aqui no Rio eu só consigo soltá-lo no parcão, na rua por conta de carros etc eu tenho medo. E como ele é mt dócil, vai com td mundo, tenho até medo de que o roubem. Uma vez um senhor na rua o pegou no colo e ele foi, todo pimpão!
    O seu cão nada bem? O Maquiavel afuuunda rsrs Então na cachoeira eu fico segurando por precaução. Mas dessa vez a gente já usou uma guia mais longa. É treino mesmo. Eles são capazes de aprender tudo. Tenho certeza que nas próximas viagens ele já vai ficar mais solto sem problemas.
    No nosso outro blog (www.apalavraesim.com) postei hoje um vídeo com um cão que faz truques incríveis, dá uma olhada.
    bjs,

  4. Ana
    17 de maio de 2012 at 12:23 #

    Oi! 

    Vi as fotos de hoje, mas vim comentar aqui para não ficar “sem sentido”.Eu sempre solto o meu cachorro numa praça aqui perto de casa (apesar de ter morado no Rio mtos anos, hj em dia moro em SP, onde são BEEEM mais dog-friendly do que no Rio). Perguntei mais por curiosidade mesmo, porque numa cachoeira eu ficaria temerosa. Meus cachorros (agora são 2, tô com uma filhotinha de 2 meses e um “mais velho” de 1 ano e 4 meses) são da raça Whippet, aquele galgo de corrida que corre MUITO! Atinge 50-60 km/h e realmente, como dona, preciso ter um controle grande para fazê-lo voltar.
    A pequena ainda não sai, nem tomou as vacinas todas! Mas o meu cachorro se distrai facilmente com outros cães, e aí não há petisco ou voz da dona que faça ele voltar. Estamos trabalhando nisso, mas ele AMA outros animais…
    Gostei das fotos e seus relatos de viagem com ele são ótimos.
    Por aqui, tomamos café da manhã todo final de semana na padaria da esquina, levando sempre nosso cãozinho! 
    Bjs

  5. jackieeromulo
    17 de maio de 2012 at 0:40 #

    PS: Conferi e no post de amanhã tem algumas fotos dele sem a guia =)

  6. jackieeromulo
    16 de maio de 2012 at 23:46 #

    Oi Ana, boa a sua pergunta, vou até ver se faço um post ou um adendo.
    Então, ele não fica o tempo todo com a gente segurando a guia não e é tb por isso que adoro levá-lo nas viagens: porque aqui no rio ele só fica solto no parcão. Mas mesmo que o soltemos deixamos ele com a guia, porque fica mais fácil “recuperá-lo” quando ele sai correndo feito doido rsrs
    O Maquiavel ainda é “bebê”, ele corre e faz festa em todo mundo e, por isso, a gente não o deixa sem guia na rua ou qd tem gente por perto, em respeito às outras pessoas que não são obrigadas a suportar festinha de um cachorro babão, ne? rsrs Na pousada vc deve perguntar se pode deixá-lo solto nas áreas abertas (algumas especificam que o cachorro deve estar sempre na guia). Lá em Mauá soltamos o Maquinho várias vezes, tenho vários vídeos dele correndo – estou querendo até editar e aí eu posto.
    Mas recomendo sim que passeie com seu cachorro e comece a fazer o exercício de soltá-lo um pouquinho, treiná-lo a obedecer qd vc o chamar de volta etc. É o que estamos fazendo com o Maquiavel. O que ele ainda não aprendeu é não fazer festa em todo mundo =)
    Qd dúvida, pode perguntar. É um prazer tão grande viajar com eles, vê-los correndo no mato ou entrando na cachoeira! À noite els ficam exaustos e felizes! Recomendo mt!
    bjs,

  7. Ana
    16 de maio de 2012 at 11:09 #

    Jackie, sempre que vejo seus relatos com o Maquiavel percebo que ele está sempre na coleira!

    Vcs nunca o soltam? Por qual motivo?
    Vivo em constante dúvida sobre levar meu cão e como agir nessas horas… Ele corre MUITO e tenho medo dele fugir. Ao mesmo tempo, acho triste ele ficar preso o tempo todo…É realmente uma dúvida que me persegue! Como vcs fazem?Bjs

Trackbacks/Pingbacks

  1. Dia dos namorados: sugestões de viagem - Viaje Sim! - 15 de janeiro de 2014

    […] há pouco um especial sobre Mauá (vilas de Visconde de Mauá, Maromba e Maringá). Leia aqui um panorama da região e clique aqui para ler todos os posts. Também temos dicas de Penedo, […]

  2. Especial Visconde de Mauá: romântica e com cachorro - Viaje Sim! - 24 de janeiro de 2013

    […] post dá início a uma série de postagens com dicas sobre a cidade. Confira todos os posts: * Panorama da região; * Roteiro pet friendly completo com sugestão de pousada, restaurantes e passeios; * […]

  3. Visconde de Mauá: roteiro pet friendly - Viaje Sim! - 24 de janeiro de 2013

    […] ir para Mauá com seu animal de estimação? Então veja aqui, no segundo post da série sobre Visconde de […]

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: