Nordeste – Maragogi (AL)

Maragogi fica a 130 km de Recife e a 144 km de Maceió. O importante antes de ir à cidade é consultar a tábua das marés. A grande atração local são as piscinas naturais que se formam nos recifes, mas para poder aproveitá-las é preciso que a maré esteja baixa. Então, procure um dia com a maré mais perto de 0.2 possível. Fomos em um dia de 0.3 e já estava no limite com muitas áreas com água no pescoço. O horário de saída do passeio varia conforme a maré. No dia em que fomos saiu às 8h, no dia seguinte sairia às 8h30. Se tiver dúvidas, ligue pra uma pousada ou restaurante local que eles te informam.

Para achar alguém para levá-los às piscinas é fácil. Caminhando na orla fomos abordados várias vezes. Nós fizemos o passeio com o atencioso Wellington (82 8842-3880 / 8832-7458 – wj.turismo@hotmail.com). Ele foi indicado pela pousada e acabamos o conhecendo num restaurante. O serviço dele foi muito bom. Marcou conosco na pousada e nos encontrou lá de moto. A lancha foi pelo mar e embarcamos em frente mesmo ao hotel. Na  volta Wellington estava lá para saber se tudo havia corrido bem.

Fomos de lancha e achamos que deve ser mesmo a melhor opção. É que cada barco tem um tempo limite para permanecer nas piscinas (pelo menos é assim na principal piscina, chamada de Galés; há outras piscinas em Maragogi) e normalmente o pessoal de cada embarcação fica no mesmo local. Nos catamarãs vão 60 pessoas e então fica mais cheio perto de onde eles desembarcam. Na lancha vão apenas 8 passageiros (no nosso dia foram 6) então fica mais vazio na área das lanchas. É claro que você pode nadar para todos os lados, mas como a Jackie não nada bem ficamos mais concentrados na “nossa” piscina.

A nossa lancha já incluía no preço a máscara e o snorkel, além de bebidas (água e refrigerante). Pagamos um adicional a um fotógrafo para fazer umas fotos aquáticas. Ele entregou as fotos em cd na pousada depois do passeio, incluindo nossas imagens e algumas de paisagens locais. Como não tínhamos equipamento fotográfico aquático, decidimos comprar as fotos e valeu a pena.

A lancha permaneceu por 1h30m no local. Uma embarcação com um fiscal controla a permanência dos barcos nas piscinas. Na volta, desembarcamos em frente à pousada novamente.

Nos hospedamos na orla de Maragogi. É uma orla bem legal, com muita opção de restaurantes com comida gostosa e barata em comparação às praias de Pernambuco.

Ficamos na pousada Olho D’água. Nessa mesma rua havia outras opções e na entrada da cidade havia um hotel grande, o Praia Dourada (a diária estava R$ 270 no dia em que fomos). Para quem procura comodidade e pode investir um pouco mais, Maragogi conta com dois resorts, o Salinas e o Maragogi Praia. As diárias são bem altas. O guia Quatro Rodas indica algumas pousadas em Jarapatinga, que fica ao lado de Maragogi.
Optamos pela orla porque o passeio sairia dali bem cedo, então poderíamos dormir mais um pouquinho. Adoramos a pousada e pagamos barato (R$ 99, com café).
O quarto era confortável, com cama box com colchão de mola, ar-condicionado silencioso, TV de plasma pequena e um frigobar. Tinha um edredon disponível (nos hotéis de lugares quentes nem sempre tem, né?) e tudo estava muito limpo.
Almoçamos/jantamos em um restaurante/bar da orla, o Lua Cheia, um peixe com molho de tomate, legumes e pirão muito gostoso e barato. Era pra 3 pessoas e custou R$ 32. À noite comemos uma pizza na Pizzaria Regina, que tem mais de 50 sabores. Estava também beeem gostosa e custou, a média, R$ 21. Para acompanhar, claro, sempre jarras de suco de frutas (pra Jackie, né, o Rô adoura uma cervejinha). Delícia!
Quer reservar hotel em ? Utilize este link para o Booking. Você não paga nada a mais e gera uma comissão para o blog. Agradecemos o apoio!
 
Fotos: Arquivo pessoal

Espero que tenha gostado deste conteúdo, que foi produzido com cuidado e carinho para você. Posso te pedir uma coisa? Ao organizar sua viagem, utilize os links abaixo. Todas as empresas e serviços indicados foram testados pessoalmente e são as opções que usamos. Quando você usa nossos links, gera uma pequena comissão para a gente, o que nos ajuda a manter o blog e estimula o nosso trabalho. Agradecemos muito o seu apoio!

  • Chip de celular internacional para internet e/ou dados Easy Sim 4u;

Fotosinspiradoras?

6 Responses to “Nordeste – Maragogi (AL)”

  1. Laura 14 de junho de 2016 at 11:13 #

    Olá,
    não estou conseguindo acessar o post sobre são miguel dos milagres, abre uma página dizendo: Este blog está aberto exclusivamente a leitores convidados.
    Gostaria muito de ler esse post.
    Agradeço desde já atenção.
    Obrigada
    Laura

  2. jackieeromulo 11 de setembro de 2012 at 23:11 #

    Que legal Maria Carolina, espero que curtam muito a viagem.
    bjs,

  3. Maria Carolina Anholeti 11 de setembro de 2012 at 21:44 #

    Estamos programando uma viagem para Maragogi nas próximas férias do marido, o que deve acontecer em março de 2013! Seu post só nos deixou com mais vontade de ir até lá!
    Bjs!

  4. Destino Alternativo 20 de junho de 2012 at 21:31 #

    Maragogi é liiiiindo. Voltarei em breve.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Lua de mel no Brasil: 5 opções para todo perfil de noivos - 14 de maio de 2015

    […] dos Milagres – onde fica nossa praia preferida no Brasil: a Praia do Patacho – e Maragogi. Com mais alguns dias para curtir o início do casamento você pode seguir por Pernambuco, parando […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *